paisagem parque serra do tabuleiro

Aventura na Serra do Tabuleiro

Que tal conhecer as opções de atividades de aventura na Serra do Tabuleiro? O parque estadual da Serra do Tabuleiro possui cerca de 88 mil hectares de área conservada, ocupando cerca de 1% do território catarinense. Foi criado em 1975 através do Decreto n° 1.260/75 e está situado em áreas dos seguintes municípios: Florianópolis, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Martinho, São Bonifácio, Garopaba, Paulo Lopes e Imaruí. O parque engloba também as ilhas Moleques do Sul, Siriú, Coral, Andrade, Papagaio Pequeno, Três Irmãs, Fortaleza/Araçatuba, Cardoso e a ponta sul da Ilha de Santa Catarina.

O nome do parque é “emprestado” de uma das serras da área, que possui um cume de formato tabular: a Serra do Tabuleiro. A região é formada por Mata Atlântica e possui vegetação que inclui cinco das seis composições botânicas do Estado. Pouco mais de 100 espécies de aves já foram encontradas por lá.

localizacao parque serra do tabuleiro

A sede do Parque está localizada às margens da BR-101, no município de Palhoça (40 km de Florianópolis). O parque foi reaberto recentemente à visitação pública (2015) após um período de reestruturação. Atualmente funciona de quarta à domingo, das 9h às 16h.

De acordo com a Fatma, mais de dez mil visitantes praticam ecoturismo no parque todos os anos. Se interessou? Vamos conhecer algumas opções de aventura na Serra do Tabuleiro:

placa da trilha no parque da serra do tabuleiro

Trilha da Restinga do Maciambú

Com 1.000 metros de extensão, a trilha pode ser percorrida facilmente junto a um guia treinado. É possível avistar animais nativos soltos além da exuberante vegetação nativa.

Trilha do Pico do Tabuleiro

O Pico da Serra do Tabuleiro possui 1.237 metros de altitude e está localizado em Santo Amaro da Imperatriz. A caminhada é indicada para trilheiros com alguma experiência e com um bom condicionamento físico, possuindo nível de dificuldade médio-alto. A atividade dura em torno de 8h e a saída acontece na sede da Apuama, saiba mais.

Trilha da Cachoeira do Rio Vermelho

A Cachoeira do Rio Vermelho é um conjunto de três cachoeiras onde a primeira e maior delas possui 70 metros de altura, enquanto as demais possuem 30 metros. Ambas estão localizadas no coração do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro.

O nome “Cachoeira do Rio Vermelho” se deve ao tom avermelhado que as pedras dão à água.

A trilha possui nível moderado e duração de 4h. Crianças a partir de 12 anos e adultos que não possuam dificuldades de locomoção e problemas de saúde podem participar.

Durante o trajeto é possível avistar pássaros e animais silvestres e, ao final, o visitante é surpreendido por piscinas naturais, podendo desfrutar de um refrescante mergulho.

rafting canion negro parque da serra do tabuleiro

Rafting Expedição ao Cânion Preto

A expedição Cânion Preto é uma atividade de rafting mais longa e com corredeiras mais desafiadoras (classes III e IV), sendo indicada para aqueles que procuram uma aventura mais radical. O percurso fica ao pé da Serra do Tabuleiro, cercado por belas montanhas e pela Mata Atlântica.

A atividade dura em torno de 4h, com um percurso de 14 km. Adolescentes a partir de 14 anos e adultos acompanhados de instrutores são aptos a participar. Restrições se aplicam à cardíacos, gestantes e pessoas com problemas acentuados de coluna.

Além do rafting, é feita uma caminhada leve que dá acesso a uma cachoeira com piscinas naturais. Saiba mais sobre essa inesquecível aventura no meio da Mata Atlântica!

Essas são algumas das opções de aventura na Serra do Tabuleiro. Aventure-se, passeie, aprecie a natureza e os animais, faça um piquenique… o parque possui atrações para a família toda e é um local incrível para se conhecer!

Acompanhe por aqui as atrações especiais do parque.

pessoa praticando arvorismo

Circuito de aventura – escolha a sua!

Que tal participar de um circuito de aventura? Junte uma equipe de amigos, traga os funcionários da sua empresa ou comemore uma data especial de um jeito diferente, com aventura e diversão junto a natureza!

Que tal comemorar o aniversário do seu filho adolescente juntando alguns amigos para um circuito de aventura que inclui arvorismo e rafting? Será um aniversário bem diferente e inesquecível para todos os participantes.

O circuito de aventura pode ser customizado do jeito que você quiser! É só escolher a melhor combinação de atividades para você, dentre as opções oferecidas:

ARVORISMO

O arvorismo em si já é um circuito de aventura já que a atividade é feita através da travessia de um percurso suspenso entre estruturas montadas na copa das árvores. O trajeto pode incluir cordas, cabos de aço, escadas, redes e outros objetos que são utilizados para aumentar a dificuldade, os desafios e também a adrenalina dos participantes.

A Apuama oferece dois circuitos:

  • Curto – feito na própria sede da Apuama, com duração de 20 minutos e que inclui: uma tirolesa de 60 metros de extensão, ponte pênsil de 25 metros, falsa baiana de 25 metros, parede de escalada e rapel;
  • Completo – Possui aproximadamente 2h de duração e é realizado no Hotel Plaza. São 550 metros de extensão divididos em 25 atividades e 04 tirolesas durante o percurso.

Acesse aqui para mais informações sobre arvorismo, valores e contato.

TRILHA

A trilha, também conhecida como hiking, consiste na prática de caminhar ao ar livre, em um caminho autoguiado e já demarcado pelo homem. Os graus de dificuldade e terrenos são variados, podendo ser de nível fácil e sem obstáculos, até exigir experiência e preparo físico do praticante.

A Apuama oferece duas opções de trilhas:

  • Trilha da Cachoeira do Rio Vermelho – Localizada no coração do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, reúne três cachoeiras. A primeira delas é a maior, possuindo 70 metros de altura. As outras duas possuem 30 e 20 metros respectivamente. A trilha é relativamente curta, com cerca de 2.650 metros de extensão. Acesse aqui para saber mais.
  • Trilha do Pico do Tabuleiro – O pico da Serra do Tabuleiro encontra-se a 1.260 metros de altitude, na região de Santo Amaro da Imperatriz. O trajeto tem em torno de 5,7 km, sendo percorrido em 4 a 5 horas. A maior dificuldade se encontra na extensão com subidas longas e descidas íngremes, além do desnível de mais de 1000 metros que exigem um bom condicionamento físico e muscular. Acesse aqui para saber mais.

pessoas praticando rafting no rio opção de circuito de aventura

RAFTING

É a prática da descida de rios em corredeiras utilizando botes infláveis, remos e equipamentos de segurança. Os praticantes são orientados por um instrutor especializado a utilizarem os remos para se movimentar pelo trajeto.

A Apuama possui 3 opções de Rafting:

  • Rafting para iniciantes – é feito nas águas calmas e transparentes do Rio Cubatão, envolto pela mata do parque da Serra do Tabuleiro. Com 1h30 de duração descendo corredeiras de classe II, o percurso é para quem quer curtir a natureza sem muita adrenalina. Podem participar crianças a partir de 8 anos, adultos e idosos acompanhados de instrutores. Acesse para saber mais sobre essa modalidade.
  • Rafting Aventura – Feito no Rio Cubatão, possui cerca de 2h de duração, percorrendo 5km. O nível de adrenalina e dificuldade desta modalidade de rafting parte da Classe I, a modalidade para quem está iniciando na prática, e vai até a Classe V, um nível com dificuldade avançada e perfil radical. O nível e atividades variam de acordo com o grupo participante. Crianças a partir de 8 anos, adultos e idosos acompanhados de instrutores podem participar. Restrição à cardíacos, gestantes e pessoas com problemas acentuados de coluna. Saiba mais!
  • Rafting expedição ao Cânion Preto – o percurso fica ao pé da Serra do Tabuleiro, cercado por belas montanhas e pela Mata Atlântica. É uma atividade de rafting mais longa (14km percorridos em cerca de 4h) e com corredeiras mais desafiadoras (classe III e IV), indicada aqueles que procuram uma aventura mais radical. Podem participar desta modalidade adolescentes a partir de 14 anos e adultos acompanhados de instrutores. Restrições se aplicam à cardíacos, gestantes e pessoas com problemas acentuados de coluna. Saiba mais!

duas pessoas praticando rapel em cachoeira no circuito de aventura

Também existe a possibilidade de incluir o Rapel Cachoeira da Ressureição e/ou o vôo livre de parapente no circuito de aventura.

A Apuama possui ainda programas especiais próprios e já definidos como o Programa de Orientação Vocacional e o Treinamento Experiencial Empresarial, não deixe de conhecer.

duas pessoas fazendo rapel de cachoeira

Rapel de cachoeira, uma experiência inesquecível!

Já teve a oportunidade de praticar o rapel de cachoeira? Já se imaginou descendo uma cachoeira por um grande paredão rochoso vertical? Também conhecido como cascading ou até como cachoeirismo, o rapel de cachoeira é uma experiência inesquecível! Se você quer saber um pouco mais sobre rapel, equipamentos e dicas de onde praticar, acesse esse outro post.

Hoje vamos falar um pouco mais sobre a modalidade de rapel praticado em cachoeiras. É errado pensar que esse tipo de rapel é o mesmo que feito em outros lugares. A atividade muda bastante dependendo de onde é realizada, bem como seus cuidados. As dificuldades de cada ambiente podem exigir conhecimentos específicos da técnica do rapel, fazendo com que a atividade seja mais segura e eficaz.

Quanto aos equipamentos utilizados o rapel de cachoeira, são os mesmos do tradicional, adaptados da espeleologia e do alpinismo, podendo ser individuais ou coletivos. Saiba mais sobre os equipamentos utilizados para a prática da atividade.

instrutor e praticante em rapel de cachoeira

SEGURANÇA E RESTRIÇÕES

Sob a orientação e auxílio de instrutores especializados e utilizando bons equipamentos, a atividade é extremamente segura e acessível. Por ser uma atividade que envolve adrenalina e fortes emoções, é contra indicada para pessoas que tenham problemas de coração, gestantes, que tomam remédios controlados ou que tenham graves limitações de movimento (incluindo pessoas com mais de 120 kg). Fora essas restrições, até crianças a partir dos 12 anos podem participar. Inclusive pessoas com deficiência visual ou auditiva estão aptas à prática.

A ATIVIDADE 

A atividade normalmente inclui uma trilha até o alto da cachoeira onde será feito o rapel, que pode seguir ou não o curso d’água da cachoeira. Durante a descida, é importante controlar a corda e manter os pés esticados, pisando por completo nas pedras, bem firme, para não escorregar. Mas não se preocupe, pois existe um treinamento com muitas explicações para não restar dúvidas. E, como mencionamos, é uma atividade segura se feita através de uma empresa especializada.

Para realizar a atividade, é interessante usar uma roupa com secagem rápida e um tênis (nada de utilizar calçados que possam se soltar!) que possa sujar e molhar (ou leve uma roupa extra). Protetor solar e repelente também são itens importantes. Para quem tem cabelo comprido o ideal é que ele fique preso durante a descida na cachoeira.

homem descendo cachoeira através de rapel

ONDE PRATICAR?

Que tal uma dica de onde praticar o rapel de cachoeira? A Apuama realiza a atividade na Cachoeira da Ressurreição, município de Águas Mornas-SC. São 35 metros de altura em meio a Mata Atlântica preservada. O acesso até a cachoeira é realizado em 10 minutos de caminhada. A atividade tem duração de 3 horas no total (a descida na cachoeira leva cerca de 30 minutos). Não precisa de experiência anterior para participar, é feito um treinamento dos procedimentos de segurança para a prática do rapel. É importante mencionar que a atividade depende de condições climáticas favoráveis.

Confira depoimento de uma participante:

“No dia 08 de abril realizamos rapel na Cachoeira da Ressurreição, sob a instrução do Denis e com o auxílio do Ramon. Foi muito radical, divertido e satisfez nosso espírito de aventura! PLUS: ducha quente!”
– Júlia Voss Warmling – Abril/2018

Acesse aqui para informações sobre valores e horários para o rapel de cachoeira.

 

rapel

Tudo sobre Rapel e dica de roteiro

Hoje vamos falar um pouco sobre mais um esporte de aventura, o rapel. A modalidade consiste em uma descida vertical com o auxílio de alguns equipamentos, principalmente a corda. Geralmente praticado em montanhas, cachoeiras e em contato com a natureza. A palavra rapel vem da língua francesa e significa “chamar” ou “recuperar”, sendo utilizada inicialmente para descrever a descida por cordas praticada em atividades como montanhismo, escalada e canyoning.

O rapel não é só uma atividade de aventura, a prática também é utilizada por pesquisadores e espeleólogos para descer em cavernas profundas e por bombeiros para o resgate e salvamento de vítimas.

Está curioso para se aventurar no rapel? É iniciante na atividade? Então vem conhecer um pouco mais sobre esta modalidade:

equipamentos de rapel

Principais equipamentos

Os equipamentos indispensáveis para a prática do rapel são:

  • corda – deve ser estática e suportar pesos acima de 1 tonelada. O tamanho varia de acordo com o local onde vai ser feita a atividade e a espessura deve ser maior que 11mm se for usada de forma simples.
  • bouldrier – conjunto de fitas que fica na cintura e nas pernas formando uma cadeirinha. Ela é ligada a corda através do freio.
  • freio oito – equipamento a base de titânio que possui a forma de um número 8. É por onde a corda passa e faz atrito, tornando possível o controle da descida pelo praticante.
  • mosquetão – prende o oito a cadeirinha e também é utilizado para prender as cordas aos grampos ou outros locais de ancoragem. É feito de titânio (alguns suportam pesos acima de 3 toneladas) possuindo diferentes modelos e formas (com ou sem trava).
  • capacete – protege o praticante em caso de escorregões ou pedras que podem se desprender e cair acidentalmente.
  • luvas – protegem as mãos durante a atividade, evitando machucados e queimaduras, além de facilitarem o controle da descida.
  • anel de fita – são fitas muito resistentes utilizadas para prender a corda em grampos, árvores ou qualquer outro ponto de fixação. Também protege a corda contra possíveis desgastes.

Quem pode praticar?

O rapel é fácil de ser praticado, porém é extremamente necessário que você esteja junto de um guia qualificado para garantir a sua segurança durante todo a atividade. Dependendo de onde será realizado, crianças a partir dos 6 anos, já podem participar.

Como é uma atividade que envolve adrenalina, é contra indicado para pessoas que tenham problema no coração. Também é contra indicado para pessoas com limitações de movimento.

Portanto, obedecendo aos critérios anteriores, estando em boa condição física e de saúde e não tendo problema com altura, você pode praticar o rapel.

Estilos da prática 

  • Inclinado – é o mais fácil de ser executado, sendo feito em uma parede ou pedra que possua menos de 90º de inclinação.
  • Vertical – a principal diferença da pratica anterior é na saída, onde dependendo do ponto de fixação da corda, é possível ter um alto nível de força no bouldrier por conta da passagem do plano horizontal para o vertical.
  • Negativo – é praticado sem o contato dos membros inferiores com qualquer tipo de  superfície como pedra ou parede. A saída é quase de cabeça para baixo, com uma velocidade de descida que aumenta rapidamente.
  • Invertido negativo – este sim assume uma posição invertida (de cabeça para baixo) após a saída.
  • Frente inclinada – possui as mesmas condições que o inclinado só que de frente para a decida.
  • Rapel de cachoeira/canyoning – é muito comum, podendo ser utilizados diversos tipos de descidas. É preciso ter muito cuidado pois você estará lidando com pedras escorregadias e cachoeiras que podem ter muita pressão de queda d’água.
  • Intercalado – A descida é realizada através de escalas, com descidas que podem incluir diferentes estilos. A descida é feita com a corda dobrada e presa em pelo menos mais um ponto de fixação (com no mínimo 3 m antes do final da corda).

rapel em cachoeira

Algumas dicas:

  • contratar uma agência especializada é fundamental para uma experiência segura e divertidas. Pesquise bem antes de escolher;
  • os equipamentos utilizados devem estar sempre em boas condições e ser de marcas e procedência. Também devem passar por manutenções constantes;
  • opte por um tênis com bastante aderência para prática da atividade;
  • o uso de calça ou bermuda será determinado pelo local onde o rapel será praticado;
  • mantenha-se hidratado, bebendo água até a chegada do local da descida;
  • use protetor solar;

Benefícios

Entre os diversos benefícios da prática do rapel podemos destacar o controle da ansiedade, aumento da força muscular e melhora da condição motora e redução do stress.

homens rapel cachoeira

Agora que você já sabe mais sobre o rapel, que tal uma dica de local para pratica? A imagem acima mostra o rapel na Cachoeira da Ressurreição, com 35 m de altura, em meio a Mata Atlântica preservada, na região de Águas Mornas-SC.

O acesso até a cachoeira é feito em 10 minutos de caminhada. A atividade pode ser feita por iniciantes na prática, com pelo menos 12 anos de idade, que pesem no máximo 120 kg e que não possuam problemas cardíacos e dificuldades de locomoção. Pessoas com deficiência visual ou auditiva estão aptas a participar da aventura!

O roteiro tem 3 h de duração (a descida da cachoeira leva em torno de 30 minutos), com saídas as 8h30 ou 13h, saiba mais.

 

 

 

 

rafting rio cubatao

Aventura! Rafting no Rio Cubatão

Gosta de rafting? Nunca fez e está pensando em se aventurar? Hoje vamos falar um pouco mais sobre o rafting no Rio Cubatão e mostrar alguns depoimentos de clientes que contaram um pouco sobre suas experiências com a gente.

Para quem não sabe, o rafting nada mais é do que a descer rios e corredeiras utilizando botes infláveis, remos e equipamentos de segurança. É uma ótima opção de passeio para fazer em família, com amigos e até com a equipe de trabalho, trazendo muitos benefícios e desenvolvendo habilidades como liderança, união e trabalho em equipe.

rafting rio cubatao

O Rio Cubatão está localizado na Grande Florianópolis, em Santo Amaro da Imperatriz. Possui água limpa e transparente, além de ser cercado por mata ciliar impecável. Ótimo para uma aventura em meio a natureza.

O passeio é todo feito junto com um guia especializado e experiente, tornando a atividade segura e divertida ao mesmo tempo. São vários níveis de dificuldade, partindo no primeiro, o Classe I para iniciantes, até a Classe V, nível avançado para perfis mais radicais e pessoas mais experientes na prática.

Tudo começa com um treinamento, já com o equipamento de segurança (coletes salva-vidas e capacetes) e depois os participantes partem para a água para começar a aventura que inclui muitas remadas, mergulho, adrenalina e diversão!

É importante mencionar que crianças a partir de 8 anos, adultos e idosos acompanhados de instrutores são bem vindos a praticar o rafting. As restrições aplicam-se a menores de 8 anos, cardíacos, gestantes e pessoas com problemas acentuados de coluna.

rafting rio cubatao

E agora que você já sabe um pouco mais sobre o rafting no Rio Cubatão, que tal ler alguns depoimentos de clientes que gostaram muito dessa experiência? Nada melhor do que ler a experiência de outros praticantes. Abaixo você encontra os depoimentos mais recentes de clientes e suas experiências com o Rafting da Apuama. E tem muito mais na nossa fanpage do Facebook!

“Equipe nota 10 em atendimento e entretenimento. Diversão garantida!” Andrea Winning – Mar/2018

“Nossa família fez Rafting dia 08/02/18. SENSACIONAL! Pessoal super profissional. Denis foi nosso guia atendendo todas as expectativas nos dando segurança em todo o trajeto. Com certeza repetiremos a dose!!! Obrigado !” Edson Costa – Fev/2018

“Atendimento impecável desde o primeiro contato por telefone. Foi o meu primeiro, e deu tudo super certo. Fomos em 10 pessoas e nos divertimos muito. O instrutor que estava conosco , Coli, é uma diversão a parte, muito responsável e também muito divertido. Super recomendo”. Néria Mota – Jan/2018

“Passeio maravilhoso, divertido, seguro. A equipe é muito atenciosa e prestativa, em especial nosso guia, Denis. Farei outro passeio em breve”. Bruno Bortoli – Jan/2018

“Excelente! Equipe ótima e adrenalina total!! Denis Miranda arrasou!!! Melhor instrutor!”  Mateus Espindola de Castro – Jan/2018

“Simplesmente maravilhoso!! Galera show do Apuama, em especial o guia Rafa que foi super atencioso, nos levou com a maior segurança e a td momento nos explicava o que ia acontecer e o que devíamos fazer. Fomos em 5 pessoas, sendo uma criança de 8 anos, e para tds foi a primeira vez no Rafting. Profissionais bem preparados, ótima estrutura e mta segurança. Já estamos pensando em voltar…” Marley Cristina – Jan/2018

“Super recomendo!!! Foi minha primeira vez no rafting, mas já saí querendo marcar a próxima. Foi muuuito divertido! Obrigada Apuama, pela estrutura e equipe maravilhosa. Em especial nosso guia Denis, pelo profissionalismo, bom humor, e simpatia.
#EquipeBebezão” Beatriz Callegari/ Jan2018

“Tudo bom demais. Visual do rio muito lindo, natureza exuberante, equipe toda super capacitada e receptiva em especial o instrutor Denis que nos guiou maravilhosamente bem. Super indico pra todos”.

“Simplesmente fantásticos!!!! GOSTEI muito da segurança, da dinâmica em que as coisas acontecem no Rafting( nosso guia do bote, ele é top, animando a galera o tempo inteiro) Denis, se não me engano!! Parabéns galera da vibe boa!!! E ano que vem voltaremos”. Talita Santos – Nov/2017

Já fez rafting no Rio Cubatão com a Apuama? Avalie também a sua experiência! Isso ajuda muito a motivar a equipe e melhorar ainda mais os nossos serviços. 😉

 

mulher fazendo tirolesa

Tirolesa – informações úteis e onde praticar

Hoje vamos falar sobre a tirolesa, você já teve oportunidade de praticar? Ela leva esse nome pois foi criada na cidade de Tirol, na Áustria. Inicialmente a atividade servia apenas como transporte de animais, pessoas e mantimentos sob rios e montanhas da região, mas com o tempo se tornou um esporte de aventura praticado no mundo todo!

A tirolesa nada mais é do que a travessia horizontal feita através de um cabo aéreo ancorado horizontalmente entre dois pontos, com o objetivo de ir de um lugar para o outro de forma rápida e com adrenalina! O aventureiro se desloca através de roldanas conectadas por mosquetões a uma cadeirinha de alpinismo.

Além da adrenalina e da sensação de “estar voando” você ainda pode admirar belas paisagens lá do alto. Em algumas modalidades de tirolesa, o final do percurso costuma terminar com um banho refrescante, caindo dentro d’água.

SEGURANÇA

Mesmo sendo considerada uma atividade radical, é uma das mais seguras com margem de falhas próximas a zero. A atividade também deve ser sempre monitorada por instrutores preparados.

Os instrumentos de segurança utilizados são:

  • Cabo de aço
  • Mosquetão
  • Fita expressa
  • Cadeirinha
  • Capacete
  • Luvas

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA), para praticar a tirolesa é preciso ter os seguintes cuidados:

  • Certificar-se de que os equipamentos estão em bom estado de conservação (questione equipamentos sujos, mal cheirosos ou visivelmente desgastados);
  • O uso do capacete é obrigatório;
  • Cheque o seu equipamento e o de seus companheiros (mesmo sendo mais experientes). Verifique se as fivelas das cadeirinhas e a trava dos mosquetões estão devidamente fechadas;
  • Não tenha pressa para se equipar;
  • Não fique com nenhuma dúvida, pergunte o que quiser para os condutores da atividade;
  • Use sempre auto-seguro duplo (equipamento) e nunca fique solto próximo a locais com risco de queda;
  • Exija uma segurança extra durante a descida, apenas uma pessoa tensionando a corda embaixo do desnível pode não ser suficiente;
  • Evite malabarismos desnecessários como ficar de cabeça para baixo, pendular ou saltar, pois podem comprometer a sua segurança.

QUEM PODE PRATICAR?

Por ser uma atividade passiva e que não exige condicionamento físico, quase todos podem praticar. Ela é indicada para pessoas que gostem de atividades ao ar livre, com adrenalina e contato com a natureza, e que não tenham problemas de coração e não se sintam desconfortáveis com altura. Cada estilo de tirolesa possui uma restrição de idade mínima para participação.

ONDE PRATICAR? 

A tirolesa pode ser realizada em rios, vales, cachoeiras, pedras e montanhas. Conheça algumas opções para a prática da atividade em Santa Catarina:

  • Florianópolis

Em Florianópolis é possível praticar a tirolesa no Engenho Eco Park, localizado no Rio Vermelho. Ali, ela possui 650 m de extensão e 220 m de altura, sendo considerada a mais radical do Brasil pois pode atingir uma velocidade de até 120 km/h. Os praticantes fazem uso de um mini paraquedas nas costas com a intenção de diminuir a velocidade durante o trajeto.

É de tirar o fôlego, mas recompensa com uma vista linda das Praias da Joaquina, Mole, Ingleses, Santinho, Moçambique e Barra da Lagoa.

A indicação para prática da atividade é vestir roupas confortáveis, levar repelente de mosquitos e garrafa de água para a trilha que dá acesso. É necessário agendar previamente para ir ao local. Para participar, é necessário ter no mínimo 20 kg e no máximo 120 kg. Gestantes e pessoas com histórico de problemas cardíacos ou relacionados à altura e velocidade não devem participar da atividade.

  • Vale Europeu

A Tirolesa K200 (nome em homenagem a K2, a segunda maior montanha do mundo), está localizada no Big Mountain Adventure Park, e cruza a divisa de dois municípios. A torre de Lançamento da tirolesa e a maior parte do seu trajeto, localiza-se na cidade de Rodeio e termina na cidade de Benedito Novo, em um trajeto de 2 km de extensão, 800 m de altitude e que pode atingir até 100 km/h. A adrenalina possui duração de um minuto e meio até três, dependendo das condições de vento. É considerada a maior tirolesa das Américas (até onde ficamos sabendo).

  • Lages

O Parque de aventuras Pedras Brancas, antigo Adventure Park, está localizado em meio as mais belas formações rochosas da região. Uma das suas atividades radicais é uma tirolesa, com 1200 metros em mais de 1 minuto de adrenalina, com a sensação de estar voando em meio a natureza. Seu ponto mais alto está a 150 m de altura.

Gostaram de saber um pouco mais sobre a tirolesa e conhecer lugares para praticar? Se quiser saber de outras aventuras, acesse nosso site e continue acompanhando o nosso blog 😉

voo livre

Voo livre – informações, dicas e onde praticar

Você já teve a oportunidade de praticar voo livre? A sensação de liberdade é indescritível. O voo livre é considerado um esporte radical, que faz uso de equipamentos como o parapente ou a asa-delta para voos não motorizados. Através de vento e correntes de ar ascendentes, o praticante consegue ganhar altitude e realizar manobras em voos de curta ou longa duração.

A título de curiosidade, no Brasil o voo livre teve seu início no ano de 1974, quando o piloto francês Stephan Segonzac fez um voo de asa-delta partindo do alto do Corcovado, no Rio de Janeiro. Em termos de distância, o recorde mundial de voo livre pertence ao Austríaco Manfred Ruhmer, que percorreu 700 km em uma asa-delta.

“Imagine uma montanha vista de cima sob um angulo que você nunca viu. Olhe para o lado e pássaros o seguem. O vento é viscoso e atravessa seu rosto, nariz, olhos e orelhas. Seus pés não tocam o chão, a natureza é vasta, o solo é recortado por quadrados, tudo está flutuando; sua mente, a natureza e Deus parecem uma coisa só. Sim, você está em voo livre!” (texto do piloto de parapente Felipe Reis).

PARAPENTE x ASA-DELTA

Curiosidade: o termo parapente é usado por franceses, enquanto os ingleses chamam de paraglider. Ambos fazem referência ao mesmo instrumento.

A asa delta é uma espécie de aeronave feita com tubos de alumínio, em formato triangular, revestidos com um tecido especial. O piloto conduz o voo deitado de barriga para baixo, utilizando os seus braços para deslocar um trapézio e efetuar manobras.

Já o parapente é feito de estrutura flexível de tecido formado por células, muito semelhante a um paraquedas, que se enche com a pressão do ar, dando forma a asa. O piloto conduz o equipamento sentado em uma cadeira que leva o nome de “selete”, fazendo manobras puxando controles, chamados de “batoques”, juntos ou para um lado e para o outro.

A aterrissagem com o parapente é mais simples se comparada a asa delta, tendo em vista que sua velocidade é menor. Desta forma, é possível realizar pousos em áreas menores e com mais precisão.

Os voos de parapente e asa delta são bem semelhantes, exceto pela sua estrutura e velocidade de deslocamento. A estrutura maior e sua aerodinâmica permite que a asa-delta alcance até 100 km/h, enquanto o parapente não costuma passar dos 70 km/h.

voo livre parapente

TIPOS DE VÔOS

Lift – é o voo mais comum, o de encosta. Com ele você salta a partir de montanhas aproveitando as “micro-termais”.

Acrobático – é o mais radical deles. Faz uso de equipamentos especiais e chega a velocidades incríveis, onde é possível exercer diversos tipos de movimentos e manobras acrobáticas.

Cross-country – é o voo que literalmente se deixa levar. O objetivo é chegar o mais longe possível da área de decolagem.

QUEM PODE PRATICAR

  • Pessoas com pelo menos 18 anos;
  • Que não tenham medo de altura;
  • Que estejam em bom estado de saúde;
  • Que não sofram de nenhuma doença cardíaca.

segurança voo livre

SEGURANÇA

A prática do voo-livre só deve ser feita por iniciantes quando acompanhados por instrutor com larga experiência. No salto duplo, ou Tandem, você vai acompanhado de um instrutor treinado e qualificado para isso. Antes de saltar, existem um treinamento rápido para conhecer as melhores posições que o salto exige.

Para saltar com uma pessoa que está começando, o instrutor faz uso de equipamento especial, adequado para suportar um peso maior. Para a prática, são utilizados alguns equipamentos para deixar a atividade o mais segura possível. Entre eles estão o capacete, um rádio, aparelho de GPS (mapa, direções e velocidade do vento) e um variômetro, aparelho que mostra quantos metros por segundo o piloto sobe ou desce e ainda faz medições da temperatura e pressão atmosférica.

Respeitadas as condições climáticas favoráveis para a prática, o esporte é bastante seguro, tendo uma baixíssima taxa de acidentes (70% deles ocorrem na decolagem ou pouco).

Não se preocupe, o instrutor acompanhante é responsável por tudo que envolve o salto, você só tem que aproveitar!

roupas voo livre

ALGUMAS DICAS

  • Tente conversar com pessoas que já praticaram para saber das suas opiniões;
  • Escolha um local próximo e certificado para a prática;
  • Use roupas confortáveis (roupa mais solta para não limitar os movimentos e tênis);
  • Esteja bem alimentado (enjoos podem ocorrer com pessoas em jejum ou desidratadas);
  • Preste atenção nas instruções! Pode parecer uma dica óbvia, mas a adrenalina do momento é tanta que você pode esquecer disso. A abertura adequada dos braços e pernas garantem mais estabilidade durante o percurso;
  • Aproveite, pois passa muito rápido!

ONDE PRATICAR

Agora vamos mostrar alguns lugares onde você pode praticar voo livre na Grande Florianópolis:

  • Santo Amaro da Imperatriz

A Apuama oferece o voo livre de parapente no Morro do Queimado, em Santo Amaro da Imperatriz, há 25 km de Florianópolis. O voo parte de uma altitude de 620 metros. Durante o passeio é possível ter uma visão do litoral e Serra Geral de Santa Catarina.

A decolagem e feita em rampa gramada com possibilidade de múltiplas decolagens. O local possui um amplo estacionamento, além de uma área para descanso e piquenique.

  • Florianópolis

Morro da Lagoa 

Na rampa da lagoa podem ser feitos vôos de parapente e asa delta. Sua altitude é de 225 m, em uma rampa com possibilidade de uma decolagem por vez. O pouso fica logo abaixo da rampa, em área gramada, ao lado de um posto de gasolina.

O visual da Lagoa da Conceição é incrível, e com condições climáticas favoráveis é possível voar sobre a Lagoa e as dunas.

Rio Vermelho

Na rampa do Rio Vermelho também podem ser feitos vôos tanto de parapente quanto de asa delta. É uma rampa pequena, situada a 123 m e altitude. Permite uma decolagem por vez e o pouso geralmente é feito logo abaixo da rampa em um pasto ao lado da estrada de acesso.

A sua localização permite vôos para todas as direções da ilha, sendo considerada uma das melhores combinações de lift e térmicas de Florianópolis.

Praia Mole

Existem opções de vôos tanto no canto esquerdo quanto direito da praia. O canto direito tem acesso através da Trilha do Gravatá, que fica à direita na subida do morro da Praia Mole. Tem altura de decolagem de 67 m, podendo atingir até 300 m. A rampa permite vôos de lifts com vento na direção nordeste e o pouso acontece nas areias da Praia Mole.

A rampa do canto esquerdo possui cerca de 85 m de altura, com vento na direção sudeste, sendo acessada por trilha localizada na subida do morro. São cerca de 900 m de trilha até chegar à rampa e se deparar com um visual incrível. O pouso é feito na própria praia. A Apuama também faz o serviço de voo livre de parapente na Praia Mole.

Praia Brava

Existem opções de voos tanto no canto direito quanto no esquerdo da praia. A Apuama também realiza voo de parapente na Praia Brava.

A rampa do canto esquerdo possui voos com vento na direção sul, pela própria praia. A subida é tranquila e a decolagem fica a aproximadamente 80 m, com o voo alcançando mais ou menos 250 m de altura e com pouso na própria praia.

Já a rampa do canto direito possui voos com ventos nas direções norte, nordeste e leste. Para chegar até a rampa é necessário percorrer uma trilha que fica à direita, na subida do morro. A subida é longa e cansativa, mas o visual compensa. São duas opções de decolagem: com vento fraco decola-se da rampa de cima (cerca de 180 m). Já com vento mais forte decola-se da rampa de baixo (cerca de 150 m). O pouso também acontece na própria praia.

Mas qual é a sensação de praticar voo livre? Não dá para explicar, só saltando para saber… depois você conta o que achou.  😉

aventura em família

Atividades de aventura para praticar em família

Planejando uma aventura em família? Nada como roteiros com aventura e diversão para entreter a todos! É uma ótima maneira também de tirar as crianças da televisão e da internet e trazê-las para um maior contato com a natureza e que pode proporcionar muitos momentos divertidos e histórias para contar para outros familiares e amigos.

Na Grande Florianópolis não faltam atrações para uma aventura em família como rafting, rapel, arvorismo e tirolesa. Antes de se decidir, procure verificar se as crianças possuem idade suficiente para participar das atividades. Se pessoas mais idosas forem fazer parte programação, também é bom checar opções que tenham estrutura para recebê-los.

É interessante também verificar tudo que deve ser levado para cada atividade, assim como ter opções de lanches rápidos para todos.

E agora, que tal conhecer algumas atividades na Grande Florianópolis que podem fazer parte da sua aventura em família?

arvorismo hotel plaza

Arvorismo

Em Santo Amaro, a atividade pode ser praticada na sede da Apuama, que possui um circuito que inclui uma tirolesa de 60 metros de extensão, ponte pênsil de 25 metros, falsa baiana de 25 metros, parede de escalada e rapel! Nesse circuito, podem praticar crianças (a partir de 1,10 m e 25 Kg) e adultos (até 1,90 m e 100 Kg). Há também opção de arvorismo no Hotel Plaza Caldas da Imperatriz, com 550 m de extensão incluindo 5 atividades e 4 tirolesas durante o percurso. Saiba mais.

A atividade também pode ser praticada em Florianópolis – no Rio Vermelho ou nas praias do Santinho e Ingleses – onde reúnem divertidos circuitos de arvorismo em parques e estabelecimentos privados.

Canoagem

Em Florianópolis há opções de passeios em caiaque passando por uma bela preservação de Mangues, no Rio Ratones, no Norte da Ilha.

Na Lagoa do Peri também existem opções de aluguel de caiaques e botes infláveis junto a belos cenários do Sul da Ilha.

A Lagoa da Conceição também possui opção de passeios de caiaque, canoa canadense e passeios de pedalinho.

rafting apuama

Rafting

O rafting para iniciantes realizado no Rio Cubatão pela Apuama, é uma ótima opção para família toda participar já que a atividade é indicada para todas as idades (crianças a partir de 8 anos, adultos e idosos acompanhados de instrutores).

rapel cachoeira da ressureicao

Rapel

Uma ótima opção é a atividade feita na Cachoeira da Ressurreição, no município de Águas Mornas. Possui duração total de 3 horas e podem participar crianças a partir de 12 anos, adultos (peso máximo de 120 Kg e que não possuam dificuldades de locomoção), além de pessoas com deficiência visual ou auditiva.

Sandboard

É possível ter momentos de diversão escorregando sentado ou em pé em pranchas sob as dunas. Em Florianópolis é possível fazer a atividade na Lagoa da Conceição, nas dunas da Praia da Joaquina e também nas dunas da Praia dos Ingleses.

Surfe

Em Florianópolis há várias opções de praias para a prática do surfe. É possível aprender a surfar em algumas delas como na Joaquina, Campeche ou na Praia dos Ingleses. Também é possível praticar Stand up Paddle (SUP) nas praias mais tranquilas, com destaque para região da Lagoa da Conceição onde você pode alugar o equipamento ou fazer aulas.

Outra opção com surfe e opção de Stand Up Paddle é a Praia da Guarda do Embaú, em Palhoça. O acesso é feito pelo Rio da Madre, que pode ser atravessado a nado, de canoa ou a pé, na maré baixa.

trilha lagoa do peri

Trilhas

No coração do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro está localizado um conjunto de três cachoeiras. Para chegar até elas é feita uma trilha com nível moderado, onde ao final os participantes são surpreendidos por piscinas naturais com direto a um refrescante mergulho. Podem participar crianças a partir de 12 anos e adultos que não possuam dificuldades de locomoção e problemas de saúde.

  • Parque Municipal Lagoa do Peri

Com opções de trilhas que margeiam a Lagoa do Peri e sobem em direção ao Sertão do Peri, o ponto mais alto da região. O percurso inclui cachoeiras, engenhos de farinha e antigos alambiques. É possível ver uma boa opção de aves e animais silvestres durante o trajeto.

  • Ilha do Campeche

O acesso a ilha é feito somente através de barcos que partem da Barra da Lagoa, Armação e da própria Praia do Campeche, no leste de Florianópolis. No local, existem  trilhas que levam a locais com inscrições rupestres feitas por índios há mais de 5 mil anos.

Gostaram das opções de atividades para uma aventura em família? Escolham as atividades preferidas, façam o planejamento da atividade e aproveitem a diversão!

rafting rio cubatao

Turismo de aventura em Santa Catarina

O turismo de aventura é procurado por cada vez mais pessoas em todo o mundo. O Brasil oferece condições naturais favoráveis e várias opções de rotas, sendo considerado um dos principais destinos turísticos para aventura e ecoturismo no mundo.

É perigoso?

Muitas pessoas não conhecem muito sobre o turismo de aventura, alguns acham que ele envolve atividades perigosas, mas não é nada disso. Trata-se de uma experiência que envolve desafios e sensações incríveis como superação e liberdade que só podem ser explicados por quem realmente já praticou uma das atividades. Existem empresas especializadas em realizar o turismo de aventura, contando com profissionais experientes e capacitados para garantir aventura, mas com total segurança. 

Quem pode praticar?

Existem opções de atividade para todas as idades, que incluem práticas como o arvorismo, boia cross, canionismo, rafting, trekking, tirolesa, vôo livre, entre outras. A faixa etária indicada para a prática variam conforme a atividade e o local, por isso, é importante se informar antes de escolher uma das opções.

Onde praticar turismo de aventura em Santa Catarina?

Santa Catarina e sua natureza privilegiada são um convite a prática de atividades ao ar livre, e há diversas opções de turismo de aventura no estado durante todo o ano. Que tal conhecer algumas opções?

instrutor e criança praticando arvorismo

Arvorismo

É uma trilha suspensa sobre árvores, onde o praticante percorre um trajeto específico, com equipamentos de segurança e acompanhado de profissional capacitado. As crianças (a partir de 1,10m e 25kg) também podem participar e se divertir!

Veja opções de percursos curto e completo em Santo Amaro da Imperatriz, cerca de 50min de carro do centro de Florianópolis.

bote de rafting no rio cubatao

Rafting

Participe de várias descidas de rios em corredeiras utilizando botes infláveis, remos e equipamentos de segurança, sendo guiados por instrutor especializado e responsável pela orientação do grupo durante a atividade. Há um treinamento antes de entrar no rio com instruções de como praticar a atividade e alertas sobre segurança.

Vale mencionar que além de ser um esporte de aventura, sua prática desenvolve habilidades que incluem liderança, união e trabalho em equipe. É uma ótima opção para integrar equipes de trabalho, como também praticar com familiares e amigos.

Existem vários níveis de adrenalina e dificuldade que podem ser praticados no Rio Cubatão, Santo Amaro da Imperatriz e Palhoça. Existem opções de atividades como iniciante (podem participar crianças a partir de 8 anos, adultos e idosos), aventura e até opção de expedição ao cânion preto (opção mais longa e com corredeiras mais desafiadoras).

duas pessoas praticando rapel em cachoeira

Rapel 

Aventure-se descendo cachoeiras através de cordas e outros equipamentos de segurança.

Uma ótima opção é feita na Cachoeira da Ressureição, no município de Águas mornas. São 35 metros de altura, em meio a Mata Atlântica preservada. Para chegar até a cachoeira, há uma pequena caminhada que dura em torno de 10 minutos. Não precisa de experiência para praticar. Podem participar crianças a partir de 12 anos, adultos (peso máximo de 120kg e que não possuam dificuldades de locomoção), além de deficientes visuais e auditivos.

voo de parapente

Vôo livre de parapente

É um opção de esporte radical que utiliza o parapente como equipamento para voar. Para decolar, é feito um salto a partir do alto de uma montanha, e então as correntes de vento impulsionam o parapente durante o trajeto até a aterrisagem.

Um guia salta junto com o participante. Pessoa que gostem de altura e estejam em bom estado de saúde podem se aventurar. Vale lembrar que a prática depende das condições climáticas .

Algumas das opções de vôos de parapente são feitas no Morro do Queimado (visão do litoral e Serra Geral de Santa Catarina), em Santo Amaro da Imperatriz ou em rampas na Praia Mole ou Praia Brava, em Florianópolis.

Gostaram de conhecer um pouco mais sobre as opções de turismo de aventura em Santa Catarina? Esperamos que sim 😉